Méqui 1000 e um caso de renovação de marca

Por muito tempo, quando se falava de fast food, a marca MC Donald’s era soberana.

Inclusive, já falamos do surgimento da franquia aqui.

Porém, atualmente vimos um avanço de outras redes de fast-foods ganhando cada vez mais espaço, como o Burger King.

O que fazer quando se tem uma concorrência tão forte ganhando espaço?

O MC Donald’s percebeu que precisava tomar uma atitude. Assistir a perda de espaço sem tomar uma atitude não era mais viável.

MÉQUI 1000

As pessoas não costumavam ir ao Mc Donald’s pelo valor nutritivo. Era a experiência. E a marca percebeu que a experiência já estava datada pelos anos.

Trabalhando em cima disso, criaram o Méqui 1000.

Inaugurado em São Paulo, no histórico imóvel número 1811 da Avenida Paulista, a nova loja vem com a função de reconquistar um público disperso com a marca.

O Méqui 1000 é um tipo de loja “quase conceito” com uma roupagem totalmente diferente de qualquer unidade da franquia em território brasileiro.

O que a loja tem de diferente?

O investimento ficou em trazer um novo jeito de viver a franquia Mc Donald’s, a começar pelo nome.

Segundo a rede de fast-food, o intuito foi apenas celebrar a intimidade da marca com seus consumidores. Neste sentido, “Méqui”, “Mecão e “Méquizinho” são apenas algumas das maneiras usadas pelos clientes para se referirem ao McDonald’s.

Além disso, a nova loja conta com tecnologia única na rede – tablets nas mesas, mesa interativa, parede com games, e espaços com filtros de realidade aumentada.

O cardápio também conta com alguns produtos exclusivos.

Tudo isso por quê?

Porque o MC Donald’s precisou se reinventar. Precisou chamar a atenção de novo do público, que ele vinha perdendo pelo caminho.

Pensando nisso, ele foi no foco: na experiência.

As pessoas não vão ao Méqui 1000 apenas pela comida. É todo o conjunto que a loja tem proporcionado: espaços, atendimento, cardápio.

Isso é inovação.

By |2019-10-31T11:39:15+00:00outubro 31st, 2019|Notícias|0 Comments