Consumir é a parte fácil. Difícil é digerir e fazer virar energia.

Cresci ouvindo dos meus pais “conhecimento é poder”.

Eles sempre tiveram esse foco e se dedicaram para ambos os filhos também terem esse poder. Sinceridade? Acredito que foram exitosos. Não só pelo fato de nos proporcionar muita condição de estudo, mas pela construção de um mindset de conhecimento e consumo de informação.

Até por esse mindset na evolução dos tempos, hoje adaptei a frase deles para meu filho: “Quem detém a SABEDORIA, detém o poder.” Muitas vezes, os dois termos são utilizados como sinônimo. Mas, para mim, sabedoria é o resultado de um longo processo que se inicia com o acesso ao conhecimento.

Hoje, com alguns minutos de pesquisa bem direcionada, você encontra uma imensidão de conteúdos das mais variadas origens e fontes. Conteúdo é a parte inicial e fácil da coisa. Saber o que fazer com ele é o ponto.
Consumir, absorver, interpretar, racionalizar, analisar e aplicar no seu mundo para o sucesso com foco no objetivo é o difícil – o desenvolver da sabedoria.

Hoje existe uma coleção de robôs, automações e estratégias de comunicação à disposição para colocar o SAMBA de sua mensagem e proposta no mercado. Mas nenhum deles consegue o que é mais importante: sabedoria para fazer acontecer no melhor formato diante das características de cada interlocutor. É aí que entra o ser humano com seu maior valor a racionalidade.

Uma vez escutei uma história bem interessante sobre a concepção do mundo. Dois discípulos de Deus foram responsáveis pela criação de todos os seres vivos do mundo. O mais espertinho saiu na frente e pegou todos os atributos que Deus destinou para a tarefa e saiu criando os animais. O elefante grande, o leão forte, aves com asas e assim por diante.

Quando o outro discípulo foi criar o humano, encontrou a caixa de atributos vazia. Ficou furioso e não sabia o que fazer. Foi aí que lembrou que Deus tinha guardado um atributo, a sabedoria.
Mais do que rápido, não querendo decepcionar Deus, ele foi lá, furtou a sabedoria e a deu para o ser humano.

O tiro saiu pela culatra. Quando foram apresentar o fruto do seu trabalho para Deus, ele ficou furioso.
“Como pode roubar de mim o maior poder e dar para o humano? Como iremos dominá-lo?” Ambos os discípulos foram banidos do céu e daí nasceu o livre arbítrio.

Como sou das pessoas que guarda o que aprendeu e não nomes, a historinha tem suas referências. Fica aí para irem atrás dos nomes dos discípulos e onde foi publicada.
A história me ensinou que nós temos o maior poder de Deus: pensar, analisar e reagir.

É por esse motivo que o mundo é feito de desafios. Porque sabemos que sempre podemos mais. A diferença daquele que faz a diferença e do que apenas segue o samba é a atitude e o protagonismo.
A inércia não nos cabe. Levantar e matar um leão por dia é nosso propósito de vida. Somos dotados de sabedoria e não tem robô, pelo menos até agora, que irá conseguir substituir isso.

Quando existir, tenha certeza: foi criado pelo homem e que já existirá um novo desafio para o humano superar. Nós criamos o que existe, esse é o ponto. Se criamos, podemos evoluir para superar.

Mas, para isso, fica a lição: nunca deixe de desenvolver sabedoria e ter atitude para evoluir.

By |2021-07-21T12:20:31+00:00julho 21st, 2021|Notícias|0 Comments