Não precisa ser difícil!

Sempre digo isso para mim todos os dias.
Reagimos muito bem ao susto, mas somos péssimos de programação da transformação.

Estamos vivendo uma grande oportunidade de programarmos uma transformação estruturada e, o mais legal, uma virada estruturada. O susto que causou a pandemia, o choque… agora temos a maresia para viver os frutos bons ou ruins.

É nesse ponto que me pego. Que fruto iremos comer?
Tomamos o choque com a crise pandêmica, criamos um universo paralelo e aprendemos muito com ele.
Vivemos um novo mundo, ativamos forçadamente novos hábitos, descobrimos novas estratégias e formas de chegarmos ao nosso resultado, muitas vezes muito mais efetivas.
Agora estamos chegando na praia. Sabe aquele momento onde colocamos o pé no chão e temos a certeza que o pior já passou?
Lindíssimo momento que enche o peito de vida! Para mim esse é um dos momentos mais importantes de qualquer processo, saber equilibrar a emoção da liberdade com o racional do aprendizado.

Quando relaxamos muitas vezes tendemos a voltar aos velhos hábitos. É aí que perdemos as grandes oportunidades de evolução e desenvolvimento. Tem dois pontos que acredito serem importantes nesse momento a serem analisados: o que fizemos paras sobreviver e o que fizemos para evoluir. Isso acontece por um motivo muito claro e cientificamente comprovado. 45% do que fazemos é repetição de nossa programação. Essa modelagem é que constrói nossos hábitos e, junto com nossa busca eterna de economia de energia, as zonas de conforto.

Importante agora pararmos, separarmos o necessário para o processo evolutivo e continuarmos a luta e a dor da verdadeira transformação. Fomos forçados a desafiar o mundo, a remodelarmos nossa forma de atuar pra sobreviver. Nadamos, boiamos, nos defendemos dos tubarões e chegamos até a praia. Agora é a hora de pegarmos todas as habilidades que desenvolvemos com esse processo da crise, juntarmos numa caixa e continuarmos com seu processo evolutivo. Continuarmos com foco na evolução que iniciamos no susto e realmente transformarmos o mundo. Para isso inicia-se um novo processo: a criação e consolidação de novos hábitos.

Esse é um tema muito estudado na neuropsicologia. Deixo aqui a recomendação de um livro muito legal sobre o tema:

O que gostaria de deixar nesse texto de hoje é a necessidade de pararmos, olharmos para a mesa e identificarmos o que fizemos para sobreviver e o que são novos modelos pela evolução.
Não podemos voltar a março de 2020 e tocarmos 2022 a partir daí.
Crescemos na dor, evoluímos no desafio.

Esse é nosso momento. Essa é nossa hora. Vamos juntos em frente.

 

Autor: Evandro Lopes
Siga-o pelos seus canais – @EvandroLopes

By |2021-08-25T10:41:31+00:00agosto 25th, 2021|Notícias|0 Comments